Aquicultura: brasileiros conhecem tecnologia em Israel

Reportagem publicada no jornal Diário da Manhã — 11 de junho de 2013

Comitiva brasileira em visita a Israel

O senador goiano Wilder Morais é um dos integrantes da comitiva brasileira, que está em Israel desde domingo, 9, para busca de tecnologia em aquicultura, que envolve criação de peixe, ostra, mexilhão, camarão, caranguejo, siri, jacaré, rã. A comitiva, chefiada pelo ministro da Pesca, Marcelo Crivella, tem agenda naquele país até quinta-feira desta semana, a qual envolverá inúmeras atividades, como visitas a centro de alta tecnologia em produção de algas, a fazendas que atuam na criação de tilápias, que fazem criação de peixes em gaiolas no Mar Mediterrâneo.

Essa ida a Israel, segundo o senador, “é de grande importância para que o Brasil obtenha mais conhecimentos técnicos em aquicultura, e assim realizar melhoramento genético, o que refletirá em mais ganhos financeiros dentro do segmento, sobretudo para os que atuam na criação de peixes.” O parlamentar observa que Israel é um grande conhecedor de tecnologia, ocupando, portanto, lugar de destaque no mundo em produtividade e cultivo em condições extremas.

Wilder destaca que “o Brasil detém a maior reserva de água doce do mundo (cerca de 13,5% do total), além da extensa faixa costeira de 8 mil quilômetros, o que coloca o país como um dos maiores potenciais produtores de pescados.” Entretanto, ele adverte que essas vantagens do Brasil, que atualmente produz 500 mil toneladas de pescados anualmente, “devem ser exploradas de modo sustentável, combinando produção lucrativa, preservação ambiental e desenvolvimento social.”

Goiás é também citado pelo senador, que salienta as vantagens que o Estado tem ambientalmente para se trabalhar a piscicultura. Wilder, inclusive, citou a ida do ministro Marcelo Crivella a Goiânia em abril deste ano, onde, em solenidade no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, foi firmado um termo de cooperação entre o Ministério da Pesca e o governo de Goiás. Acordo este, diz o senador, que envolvem “ações conjuntas direcionadas à capacitação técnica para trabalhar a piscicultura de modo sustentável, o que colocará Goiás em papel de destaque na produção de pescados.”

Na quinta-feira (13), a comitiva encerra a agenda em encontro com representantes de empresas voltadas à tecnologia da piscicultura.