Comissão elabora políticas para a área de infraestrutura hídrica no País

Notícia publicada pelo jornal Diário da Manhã — 6 de junho de 2014

DIÁRIO DA MANHÃ
RENATO DIAS

A Comissão de Infraestrutura do Senado, presidida pelo democrata goiano Wilder Morais (DEM), realizou, em Brasília (DF), audiência pública. Na pauta, a produção de um diagnóstico e elaboração de políticas públicas para a área de infraestrutura hídrica. É o que revela ao Diário da Manhã o parlamentar.

O fórum contou com a presença dos senadores Inácio Arruda (PCdoB-CE), Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Jorge Viana (PT-AC), José Pimentel (PT-CE), Sérgio Petecão (PSD-AC), além do presidente da Agência Nacional de Água (ANA), Vicente Guillo, e do secretário executivo do Ministério de Articulação Nacional, Irani Braga.

Wilder Morais diz que faltam gestão e planejamento para o setor. Segundo ele, as principais obras executadas pelo governo federal, além de atrasadas, obtiveram majoração de seus custos. A crise de abastecimento de água vivida por São Paulo, devido ao baixo volume de água do Sistema Cantareira, foi citada.

— A água é um produto vital à sobrevivência da população e também essencial na produção de alimentos.

O democrata contou que a Barragem João Leite de Goiânia é um exemplo. “Ela garantirá abastecimento aos 20 municípios que constituem a região metropolitana de Goiânia pelos próximos 40 anos”, observa. Já Vicente Guillo quer ação estratégica para a área. Com ações que promovam segurança hídrica, dispara.

— Para se evitar a crise de abastecimento, como a vivida por São Paulo.

O presidente da ANA também apontou a necessidade de se combater as perdas do sistema de abastecimento. A construção de novas barragens e transposições foram outras medidas sugeridas. Wilder Morais lembra que na Barragem João Leite existem recursos do BNDES, ministérios da Integração Nacional e das Cidades, governo de Goiás e Saneago.