Goiás é o 1º no Centro-Oeste na geração de empregos e o 9º no País.

postado em: Artigos | 0

O mercado de trabalho de Goiás registrou a abertura de 4.719 vagas com carteira assinada em setembro de 2019, o que se apresenta como o melhor desempenho para o mês desde 2013, quando 5.160 vagas foram abertas. O saldo no Estado, de janeiro a setembro, é positivo com 40.745 empregos abertos. Na Região Centro-Oeste, Goiás aparece em primeiro lugar na geração de vagas no ranking de setembro e também no acumulado do ano de 2019.

Os dados divulgados nesta quinta-feira (17) pelo CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – mostram que o mercado de trabalho em Goiás teve um saldo de 40.745 novos postos de trabalho formal acumulado nos nove primeiros meses, uma variação de 3,36% em relação ao mesmo período de 2018. O segundo Estado a gerar mais empregos nesse mesmo período no Centro-Oeste foi Mato Grosso, com 32.641 novas vagas, seguido de Mato Grosso do Sul, com 19.170; e Distrito Federal, com 19.063.

Goiás admitiu, desde o começo do ano, 469.360 mil trabalhadores e 428.615 mil foram demitidos, o que gerou o saldo positivo de 40.745. Apenas no mês de setembro foram 49.506 mil contratações e 44.787 mil demissões.

SIC IMPULSIONA A ECONOMIA DE GOIÁS

O setor de serviços registrou o melhor saldo positivo para o mês de setembro, com 2.210 novos empregos com carteira assinada. Em seguida, vem o comércio, com saldo de 1.098 vagas a mais. A indústria de transformação aparece com 746 novos empregos.

Todos esses setores têm relação direta com as ações da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços, que somente este ano garantiu a assinatura de 44 protocolos de intenção com novas empresas que vão se instalar em 25 municípios de Goiás, com expectativa de geração de nove mil empregos diretos e cerca de 27 mil indiretos, além do investimento previsto de R$ 2.4 bilhões (esses valores atingidos em 9 meses de trabalho representam o mesmo investimento de 2017 e 2018 somados).

O setor que mais fechou vagas foi o da agropecuária, 451. No acumulado do ano, os serviços (15.054) e a indústria da transformação (10.394) tiveram os melhores desempenhos. Já o comércio acumulou em nove meses 1.131 empregos. O único setor com saldo negativo é a administração pública, com 54 vagas a menos.

Os municípios que mais contrataram em setembro foram Goiânia (18.244 novos postos formais de trabalho) e Aparecida de Goiânia (4.476). Itumbiara foi o município goiano com maior saldo negativo de empregos no mês, com menos 442 vagas.

No Brasil, setembro também foi o melhor mês desde 2013, com 157.213 novos postos de emprego com carteira assinada. No ano, o saldo é de 1.314.716.

NO CAMINHO CERTO

O governador Ronaldo Caiado comemora o resultado. E o secretário de Indústria, Comércio e Serviços, Wilder Morais, disse que esse momento de geração de empregos em Goiás é fruto do trabalho que vem sendo feito desde o início do ano, com atração e prospecção de novas empresas, além do estímulo com crédito assistido e apoio por parte do Governo.

O governador disse que os números indicam que Goiás está no caminho certo, fazendo o dever de casa, apesar das inúmeras dificuldades e dos problemas que herdou. Mas mesmo assim o cenário para quem deseja empreender e gerar emprego e renda é bom no Estado.

Wilder Morais diz que a atração de novas empresas é uma das suas missões à frente da SIC. Desde o início do ano já foram assinados mais de 40 protocolos de intenção com empresas que querem se instalar ou ampliar as suas instalações e produção. A previsão, assim que essas empresas estiverem operando é de gerar milhares de empregos. “Estamos mostrando resultados positivos e a tendência é de melhorar ainda mais o cenário da geração de empregos”, comenta Wilder.