Wilder Morais troca DEM pelo PP

postado em: Notícias | 0

Notícia publicada pelo jornal Diário da Manhã — 14 de setembro de 2015

Ato político terá as presenças do governador Marconi Perillo, vice-governador José Eliton, presidente nacional do Partido Progressista, Ciro Nogueira, parlamentares, prefeitos, vereadores e lideranças de diversas legendas

wilder morais

Hélmiton Prateado

O senador Wilder Morais filia-se ao PP nesta segunda-feira (14), às 16h, na Mansão Cristal, Jardim Goiás. O presidente nacional da sigla, Ciro Nogueira (PI), o governador Marconi Perillo e o vice-governador José Eliton encabeçam a lista de lideranças que já confirmam presença. O evento terá as participações de senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos, vereadores, representações de diversas legendas, dirigentes e militantes do Partido Progressista.

Wilder Morais deixa o DEM e deve comandar o PP em Goiás com a filiação do presidente estadual, vice-governador José Eliton, ao PSDB. O ato será no dia 24 de setembro, às 10 horas, em local a ser definido. Este evento terá a presença do presidente nacional tucano, senador Aécio Neves (MG).

As ações políticas visam, especialmente, fortalecer o projeto nacional do governador Marconi Perillo, que pretende disputar a Presidência da República ou a Vice-Presidência. O senador Wilder Morais já declarou que sua perspectiva política é a busca da reeleição no pleito de 2018

Engenheiro civil formado pela Universidade Católica de Goiás, hoje PUC-GO, Wilder se destacou na trajetória empresarial como um dos fundadores da Orca Construtora. Em 2009, foi convidado pelo senador Demóstenes Torres para primeiro suplente nas eleições de 2010. No ano seguinte, dirigiu a Secretaria de Estado de Infraestrutura, oportunidade em que comandou projetos de expressão, como o Rodovida.

Em 2012, Wilder Morais assumiu o Senado em face do afastamento do titular, onde prioriza projetos que beneficiem os municípios e que visam expandir e aperfeiçoar a infraestrutura do país, considerada por ele como a espinha dorsal do desenvolvimento.

TRAJETÓRIA

Engenheiro civil, Wilder Morais superou a infância pobre em Taquaral de Goiás para se tornar um dos fundadores da Construtora Orca, secretário de Estado e senador da República

O senador Wilder Morais nasceu em 29 de junho de 1968 no município de Taquaral de Goiás. Divorciado, é pai de três filhos: Pedro, Vitor e Isis. Teve uma infância marcada por muitos sacrifícios, mas sempre contou com a harmonia familiar: os pais Maria Angélica de Morais e Natalino Alberto de Morais, e os irmãos Willis Antônio de Morais e Wilma Aparecida de Morais Tolentino.

A família ganhava a vida com muito trabalho. A mãe atuava como costureira e o pai como lavrador em fazendas do município. Eles se separam após 20 anos de matrimônio. No novo casamento de Natalino, Wilder ganhou mais um irmão: Wilian Mendanha Morais.

Ainda criança, já externava o desejo de ser engenheiro civil, sonho que se realizou depois de muita persistência. Para isso, teve que sair de sua cidade natal e deixar a família. Neste período, Taquaral não tinha escola de segundo grau. Goiânia foi a solução. Segundo grau concluído, veio então o vestibular. Passou e foi visitar os pais para dar-lhes a notícia, acontecimento que os deixou muito felizes.

Assim, deu início ao curso de Engenharia Civil na Universidade Católica de Goiás, hoje PUC-GO. A educação foi a grande ferramenta de transformação na vida do senador. Sem dinheiro para custear os estudos, recorreu ao crédito educativo. O avalista foi Davi Dutra, um homem que o viu nascer e crescer nas ruas da pequena Taquaral e que sempre ajudou os pais no sustento da família.

Já no primeiro mês de curso, consegui emprego numa grande construtora de Goiânia. Entrou como estagiário e saiu como diretor-presidente, aos 26 anos de idade. Resolveu trabalhar por contra própria. Com dois colegas de curso, movidos por muita determinação, fundaram a Construtora Orca.

A empresa, nos últimos 15 anos, constrói e desenvolve projetos exclusivamente para a iniciativa privada. Não executa nenhuma obra fruto de concorrência pública com recursos dos tesouros municipais, estaduais ou federal. Da construtora, surge o Grupo Orca, que hoje atua em diversas atividades empresariais.

Em 2009, recebeu a visita do então senador Demóstenes Torres, que foi à empresa para convidá-lo para ser seu primeiro suplente nas eleições de 2010. Após avaliar com sócios, aceitou e atuou ativamente na campanha. Fez visitas aos 246 municípios goianos. A participação foi intensa: distribuía material partidário, atuava em caminhadas, carreatas e representou o senador em eventos políticos.

Em 2011, o governador Marconi Perillo fez o convite para comandar a Secretaria de Estado de Infraestrutura e, desta forma, representar o setor da construção civil. Ficou 17 meses no comando da pasta. Saiu para ocupar o cargo de senador em substituição a Demóstenes Torres.

Na passagem pela Secretaria de Infraestrutura, esteve à frente de obras de grande importância logística para Goiás, como o programa Rodovida, em andamento, que recupera 23 mil quilômetros da malha viária do Estado. Retomou a construção da ponte de Cocalinho, que vai ligar Goiás a Mato Grosso. Obra estratégica, vai gerar desenvolvimento à Região do Vale do Araguaia.

Assumiu o mandato de senador no dia 13 de julho de 2012, com ênfase nas ações em infraestrutura, por reconhecê-la como espinha dorsal do desenvolvimento socioeconômico. Outra bandeira que prioriza é o municipalismo. Avalia que são os dirigentes de cidades, como os principais executores de políticas públicas, que devem receber um tratamento especial da União, fato que não acontece, tendo como consequência a precária situação financeira dos municípios.