Wilder Morais enaltece empreendedorismo feminino

postado em: Notícias | 0

A mulher tem atributos qualitativos e diferenciados para o empreendedorismo. É o que defende Wilder Morais, ex-senador e titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços do Estado de Goiás.
Wilder reafirma que não faltam exemplos de executivas e pequenas empresárias que realizaram grandes investimentos e conquistas devido a determinação e detalhismo nas atividades. O secretário lembra que existem 9,3 milhões de mulheres que gerenciam e tomam decisões de negócios. Esse número divulgado pelo Sebrae neste ano indica que 34% de todos os empreendedores do Brasil são mulheres, informa o titular da Secretaria de Indústria e Comércio.
Wilder afirma que o empreendedorismo é uma das principais ferramentas para o “empoderamento feminino”. Ele informa que de imediato a mulher torna-se apta a segurar as adversidades das famílias e até mesmo ser o sustentáculo, já que hoje não é incomum a esposa ganhar mais do que o marido.


O titular da Secretaria de Indústria e Comércio revela que está ciente de uma realidade a ser modificada: a mulher empreendedora tem menos chances de obter crédito. E quando consegue, segundo levantamento do Sebrae, “paga juros 3.5% maiores do que os homens”.
O ex-senador diz que o aspecto mais forte do incentivo ao empreendedorismo feminino deve ser o resgate da mulher numa situação de vulnerabilidade. “Estou certo de que temos excelência em empreendedorismo e grandes executivas, que operam imensos orçamentos. Além da necessidade de garantir crédito, cabe ao poder público amparar estas empreendedoras no inicio de suas atividades seja através da oferta de informação estratégica seja através de facilidade de crédito. Tem mulher que comanda sua escola, seu salão de beleza, um supermercado e que precisa de orientação e crédito”, diz Wilder.
O secretário cita o caso do Banco do Povo que em sua gestão recebeu orientação para atender as mulheres com programas e benefícios prioritários.
Wilder diz que não fala sobre “teoria”, mas a prática da vida. Antes dele ser um dos principais construtores de supermercado no mundo, aprendeu com a mãe a importância do empreendimento. “Minha mãe sustentou nossa família através da costura. Eu mesmo a ajudava nas atividades mais pesadas. Lembro ainda hoje como nos organizávamos para o trabalho e produção. Eu a ajudava nesse trabalho mais pesado, nas máquinas, etc”, recorda.