Wilder e Caiado miram no potencial turístico goiano

postado em: Notícias | 0

A movimentação das rodovias já detectada pela operação Carnaval da Polícia Rodoviária Federal e Estadual é a prova do potencial turístico presente em Goiás, mas ainda subaproveitado. O Estado garante visitação para todos os segmentos, do turismo de negócio, histórico, de relaxamento e místico-religioso. Só no Carnaval 2018, a cidade de Caldas Novas, um dos destinos mais conhecidos, deve receber 150 mil viajantes durante o período de festas. O que confia uma taxa de 90 a 93% de ocupação dos leitos de hotéis da cidade. Outras menos conhecidas nacionalmente, como Pirenópolis, Cidade de Goiás, também têm boa média de visitação no mesmo período.
Porém, apesar dos números serem positivos, o turismo goiano sobrevive de forma instintiva e calcado – quase na sua totalidade – nas belezas naturais e na tradição dos locais polo. Com exceção louváveis, como a criação do Festival Internacional de Cinema Ambiental (FICA), que acontece na antiga capital, muito se carece de políticas e eventos para incentivar uma das mais limpas das indústrias.
O novo secretário da Indústria, Comércio e Serviços de Goiás, Wilder Morais vê no segmento um dos fortes potenciais para auxiliar o estado a melhorar a economia goiana, com a abertura de novos empreendimentos e a consequente geração de empregos diretos e indiretos. Durante a última reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE), na quarta-feira, 27, quando foi anunciada a liberação de R$ 62,35 milhões em recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), a Goiás Turismo, que também participou do evento, apresentou um estudo sobre a importância do setor para a economia goiana, hoje o responsável por 4% dos empregos formais do Estado. Em 2018, cerca de R$ 7 milhões dos recursos do FCO foram destinados a empreendimentos do setor de Turismo. De acordo com a diretora de Desenvolvimento, Pesquisas Turísticas e Eventos, Valquíria Faria, a meta para este ano é aumentar o volume e auxiliar mais empresários a conhecer a linha de financiamento.

Caldas Novas é um dos destinos mais procurados em Goiás

“O maior desafio de nossa equipe será regionalizar o desenvolvimento no Estado, principalmente nas regiões Norte, Nordeste e no Entorno do Distrito Federal. Começamos um levantamento socioeconômico do Estado para apresentar às empresas que possam se instalar em Goiás. A regionalização é a grande saída para a crise fiscal: emitiu nota? Temos então empregos e impostos. E assim podemos garantir segurança pública, saúde e educação para o povo goiano”, anunciou Wilder Morais, acrescentando que, entre as estratégias de regionalização, está o incentivo ao turismo, ação que tem total respaldo do governador Ronaldo Caiado.
Segundo ele, estão em estudos na pasta, políticas que deixem os empreendedores do turismo mais seguros para investir na expansão de seus negócios, para que apostem na profissionalização de pessoal e dos meios de se atender a demanda. “Precisamos aprimorar nossa indústria do turismo, principalmente nas épocas festivas e feriados do ano. Goiás tem tudo para atrair milhares de pessoas por conta de seus santuários ecológicos e cidades históricas”, completa o secretário.
O secretário prevê o estímulo da geração de empregos, diretos e indiretos, além de capacitação na área, por isso, propõe investimento em eventos característicos do estado, como a Festa do Divino Pai Eterno, agendas em Alto Paraíso, turismo de negócio, de aventura e ecológico, além de melhoria da infraestrutura nas áreas turísticas do estado.
O secretário entende que a necessidade de deslocamento da população em feriados e festas específicas deve ser aproveitada em todo o seu potencial. Para ele, investimentos que voltam ao investidor e à toda a população do estado de forma generosa. “Goiás não pode parar nos feriados. Um milhão de turistas significa R$ 1 bilhão para os goianos. Precisamos investir na indústria do turismo” completa prometendo atenção e empenho redobrados para incentivar o setor nos próximos meses.