Posse de Wilder reúne multidão no Palácio Pedro Ludovico Teixeira

postado em: Notícias | 0

 

 

Lideranças políticas de todo estado lotaram todos os ambientes de onde aconteceu a solenidade de posse de Wilder Morais.

 

A solenidade de posse de Wilder Morais como secretário de Estado de Indústria, Comércio e Serviços contou com a presença de 103 prefeitos, vereadores, deputados e autoridades municipais e estaduais, além de representantes de diversos setores que lotaram o auditório Mauro Borges, hall interno e externo, as escadarias e a frente do Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

Durante a posse, o governador Ronaldo Caiado ficou impressionado com a quantidade de pessoas que prestigiou o evento. “O convite feito pelo nosso secretário trouxe aqui amigos e amigas dos 246 municípios de Goiás, que nem couberam neste auditório. Eu quero agradecer a cada um, e dizer que conheço e reconheço todos vocês. Cada olhar de vocês vem minha memória a minha trajetória de vida, meus anos em campanha, os momentos da eleição, e vocês não sabem o quanto isto nos impõem mais responsabilidade”, declarou Caiado.

Durante o discurso, o governador destacou o perfil técnico, além do político, de Wilder. “Ele poderia ter escolhido cuidar da sua trajetória pessoal, que é gloriosa e vencedora, mas ele soube ter gesto e espírito público para se dedicar ao Estado de Goiás” apontou Caiado. O governador disse também admirar o secretário empossado pela dedicação que tem demonstrado, desde o período eleitoral, em trabalhar para desenvolver o Estado. Caiado destacou o perfil empreendedor e diplomático do novo secretário. “Wilder é uma pessoa que aglutina, que aproxima, que é fundamental num momento tão importante e tão delicado na trajetória do nosso Estado”, afirmou o governador de Goiás.

 

Surpreso e muito satisfeito pelo prestígio, Wilder começou o discurso agradecendo a presença de toda liderança política e se desculpando por não ter conseguido acomodar todos. Decidido em guinar o desenvolvimento do Estado, secretário Wilder Morais sinalizou, durante o seu discurso, que trará várias inovações na gestão de programas como o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), Produzir, Banco do Povo, e nas ações de atração de investimentos, de forma a serem menos burocráticos e mais acessíveis à toda população goiana e às empresas que tiverem interesse em vir para Goiás. “Goiás sempre foi agressivo em benefícios e vai continuar sendo”, frisou.

Segundo o secretário, um dos focos de seu trabalho será a regionalização do desenvolvimento, para isso a sua equipe já fez um levantamento de todas as regiões de Goiás, com suas potencialidades econômicas e demandas. “Nós queremos levar empresas para aquelas regiões que hoje não têm nada de industrialização, ou empresas, seja na área do agronegócio, seja na mineração”.

Escolhido pelo governador Ronaldo Caiado, com apoio do setor produtivo, o secretário de Indústria, Comércio e Serviços ressalta as características que faz o Estado de Goiás se destacar entre as unidades da Federação para a atração de investimentos. Wilder cita a localização geográfica, a logística, o clima, e a força do empresariado goiano. Um dos pontos positivos, destacados pelo secretário, é a posição geográfica de Goiás. “Nosso Estado tem posição geográfica privilegiada, além de ter condições e suportes técnicos para despachar produtos para qualquer lugar do País e do mundo”, arrematou Wilder.

 

RECURSOS

Wilder informou que pretende dar maior transparência e levar para um número maior de empresas os recursos do Programa Produzir/Fomentar e Programa Banco do Povo. “Hoje temos em caixa cerca de R$ 100 milhões em caixa no Produzir e no Banco do Povo temos R$ 10 milhões, então vamos colocar isto para funcionar agora. Levar estes recursos para todos os 246 municípios goianos”, afirmou.

Além disto, o secretário explicou que trabalhará diuturnamente com o propósito de atrair novas empresas e fomentar produtividade das empresas já existentes no mercado goiano. “Mesmo com a pequena revisão temporária de cerca de 12% que foi feita no final do ano passado, Goiás é o Estado da Federação que mais possui incentivos fiscais. Isso porque nosso Estado acredita no empresário”, defendeu.

Segundo o titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços, a instalação de novas empresas em Goiás é uma das saídas do colapso econômico que o Estado se encontra. Para ele, o mercado financeiro não deve ser o percursor da estabilidade econômica, por meio de elevadas taxas de juros. “A geração de emprego e renda deve estar no centro da política econômica”.

Mesmo antes de sua posse como secretário de Indústria, Comércio e Serviços, Wilder Morais manteve diálogo aberto com os representantes dos setores produtivos de Goiás, reunindo-se com Adial, Forum Empresarial, Fieg, Associação dos Produtores de Borracha de Goiás, Crown Embalagens, Caramuru, Comigo, Cereal, indústrias automotivas como Caoa, Mitsubishi, John Deere, e outros.

Segundo Wilder, outro ponto que vai merecer sua atenção é o setor energético. Secretário já tinha esta preocupação no Senado, onde propôs alguns projetos de lei com foco nesta questão. Para conhecer melhor a capacidade energética de Goiás e seus gargalos, ele se reuniu com representante da Enel Distribuidora de Energia de Goiás, com a qual pretende manter contato contínuo a fim de assegurar investimentos e ampliação da rede de distribuição no Estado.

 

EXPECTATIVAS

Representantes do setor produtivo têm manifestado apoio ao novo secretário e apostado em sua gestão. O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, destacou, durante o discurso na solenidade de posse do novo secretário, a experiência de Wilder Morais na indústria. “Nós, empresários, industriais e comerciantes, vemos o Wilder como um homem empreendedor, uma pessoa que conhece o outro lado do balcão, o lado de quem produz e trabalha muito para levar Goiás para frente. Com essa experiência e com a disposição que ele tem, nós acreditamos que Goiás terá um salto importante nessa área de industrialização”, avalia.

O presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg), Euclides Siqueira, vê com otimismo a escolha de Wilder Morais para a Pasta. Para ele, a experiência de Wilder Morais como empresário na indústria da construção civil também faz diferença. “Ele sabe das dores do empresário no cotidiano vivido junto ao governo. Então ele fará uma interlocução entre empresários e governo estadual para melhorar o ambiente de negócios no Estado de Goiás”, disse. Ele acredita ainda que Wilder Morais terá “jogo de cintura” para apresentar as demandas do Estado ao Congresso Nacional e ao Governo Federal.

Para o presidente da Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio), Marcelo Baiocchi, Wilder é um “homem de negócios, empreendedor e que tem a visão de crescimento, de valorização do Estado de Goiás”. Baiocchi elogiou a escolha do governador Ronaldo Caiado para a pasta. “Sabemos que, na sua competência, Wilder estará empenhado em fazer com que os empresários e as empresas de comércio, serviços possam ser valorizadas e possamos cada vez mais incrementar as nossas atividades empresariais dentro do Estado de Goiás”.