Empresa goiana investirá R$ 455 milhões em Nova Veneza e prevê gerar mais de dez mil empregos

postado em: Notícias | 0

Defensor da tese de que o melhor programa social é a geração de empregos, o governador Ronaldo Caiado prestigiou nesta sexta-feira (28) o que em sua opinião é um “momento emblemático” para Nova Veneza. A São Salvador Alimentos (SSA) inaugurou uma das mais modernas indústrias de proteína animal do País, que entra em operação no próximo dia 2 de março e anunciou o investimento de R$ 455 milhões na cidade. “Não tem nenhuma política que dê tanto resultado para combater desigualdades regionais como o emprego. É o que estamos fazendo aqui hoje, dando um importante passo em nossa luta para expandir a industrialização para todas as regiões do Estado, para que haja uma distribuição da qualidade de vida.”

Nesta meta, ressaltou a participação do segmento empresarial. “Todos têm que dar sua parcela de contribuição. Você não sai de uma crise sem que haja um gesto de solidariedade de todos. Servidores públicos, empresários: todos se uniram para que Goiás saia dessa situação em que se encontra hoje, até o momento impedida pelo Tesouro Nacional de contrair o empréstimo”, arrematou o governador. O presidente do Grupo São Salvador, José Garrote, disse que o governo Caiado tem aberto as portas neste processo. “É essencial a relação entre setor público e privado, um precisa do outro para fazer o Estado crescer. Precisamos nos entender para ter o tripé do desenvolvimento: o lucro, o social e o ambiental”, refletiu.

Secretário de Indústria e Comércio, Wilder Morais pontuou os benefícios que a implantação da fábrica em Nova Veneza traz para o município e cidades vizinhas, e também comentou sobre as ações de governo implementadas, que seguem a principal diretriz do governador Ronaldo Caiado: a regionalização. “Já conseguimos atrair para Goiás 112 novas empresas, em apenas um ano. São investimentos que chegam a quase R$ 5 bilhões e que vão gerar mais de 45 mil empregos, diretos e indiretos, nesses próximos anos”, projetou.

Wilder disse ainda que as mudanças em Nova Veneza, com a chegada dessa indústria, serão muito importantes e vão incrementar a geração de empregos, renda, além de aumento de tributos para o Governo do Estado.

Falando em nome da bancada goiana, o deputado federal José Nelto fez seu testemunho da atuação dos parlamentares no Congresso Nacional na defesa dos interesses de Goiás e foi aplaudido ao defender a Reforma Tributária. O senador Vanderlan Cardoso também parabenizou e desejou sucesso à empresa, apostando em muitos benefícios para Nova Veneza, e disse que desconhece “uma cidade, um Estado e um País que tenham se desenvolvido por outra forma, que não a geração de emprego e renda”.

O presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira, destacou que a história política do governador, sempre alicerçada no incentivo ao setor produtivo. “A visão empreendedora dele [Caiado] o levou a desburocratizar a legislação ambiental no Estado, o que se tornou referência também no País. Tenho certeza de que teremos mais investimentos como esse da São Salvador Alimentos. Goiás poderá produzir mais alimentos para o mundo afora”, opinou.

Os representantes do Fórum Empresarial e da família fundadora de Nova Veneza, Cesar Helou e Luiz Stival, respectivamente, registraram apoio ao governador. “Conte conosco. Nós, empresários, estamos investindo e continuaremos a investir em Goiás”, reforçou Helou, também vice-presidente da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado (Adial).

A inauguração de uma filial fora de Itaberaí marca uma nova fase da empresa, que começou a produzir em março de 1991, com o abate médio de 2,5 mil frangos por mês. No ano passado, a São Salvador Alimentos (SSA) cresceu 35% em relação a 2018, sendo que o faturamento bruto subiu de R$ 1,2 bilhão para R$ 1,6 bilhão. No início de 2018, a SSA adquiriu a área em Nova Veneza, onde já havia um abatedouro de aves de médio porte. A construção da fábrica, porém, começou do zero.

A produção da nova unidade começa oficialmente na próxima segunda-feira, 2 de março. Ela foi construída numa área total de 830 mil metros quadrados, a cerca de 40 quilômetros de Goiânia e a 70 quilômetros da matriz, localizada em Itaberaí. A diretoria atendeu a um pedido do presidente Jair Bolsonaro, e vai incorporar aos seus quadros de trabalhadores 30 venezuelanos refugiados.

Com a planta industrial, será possível promover a geração de mais de mil empregos diretos e dez mil indiretos. O investimento total é de R$ 455 milhões, dividido em duas etapas. Na primeira, inaugurada nesta sexta-feira, os recursos aplicados somam R$ 255 milhões. Vale lembrar que a capacidade da fábrica de Nova Veneza, nesta primeira fase, é de 160 mil aves por dia, o que representa um aumento de 50%.

Já na segunda etapa, serão investidos mais R$ 200 milhões, o que permitirá que a filial tenha a capacidade ampliada para 320 mil aves por dia, o que praticamente dobra o atual volume de produção da empresa. Hoje, mais de 30% da produção da SSA são destinados para 65 países. Ao final da solenidade, Caiado e todos os demais presentes puderam conhecer toda infraestrurura in loco, com um tour pelas instalações da fábrica.

Participaram também do evento os secretários de Estado Cristiane Schmidt (Economia) e Antônio Carlos Neto (Agricultura, Pecuária e Abastecimento); o ex-governador e ex-prefeito de Aparecida de Goiânia Maguito Vilela; o ex-governador Leonino Caiado; o senador Cidinho Santos (Mato Grosso); os deputados federais Delegado Waldir, Flávia Morais, Francisco Júnior e Zacharias Calil; os deputados estaduais Coronel Adailton, Dr. Antônio e Humberto Aidar; o presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região-Goiás, desembargador Paulo Sérgio Pimenta; a prefeita de Nova Veneza, Patrícia Amaral; o vice-prefeito Alessandro Rios; e o presidente da Câmara Municipal, vereador Haroldo Braz.

Marcaram ainda presença o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra; os conselheiros Sebastião Tejota (Tribunal de Contas do Estado) e Sérgio Cardoso (Tribunal de Contas dos Municípios); os ex-prefeitos Valdemar Costa e José João Stival; além de funcionários da empresa, secretários municipais e servidores da Prefeitura, lideranças políticas, religiosas e comunitárias.